17/05/2020 13h13 - Atualizado em 17/05/2020 15h56

Provavelmente você já esteja familiarizado com os termos QI (Quociente de Inteligência) e QE (Quociente Emocional), mas um termo que tem ganhado destaque no futuro da força de trabalho é o QA (Quociente de Adaptabilidade).

Quando é usado para descrever um indivíduo, o termo é definido como a capacidade de uma pessoa se adaptar e prosperar em um ambiente de mudança. Essa capacidade de adaptação é fundamental para o colaborador que deseja continuar tendo sucesso em seu ambiente profissional e pode significar o desenvolvimento de novas habilidades, inclusive, na forma de interagir com os outros.

A ideia de adaptabilidade consiste em saber enfrentar situações diferentes daquelas que nos são comuns e conseguir interagir com certa facilidade a novas realidades sem precisar de muito tempo para se adaptar.

Num mercado de trabalho em constante alteração e cada vez mais exigente, a capacidade de adaptação será cada vez mais decisiva, pois o perfil profissional pretendido atualmente pelas empresas certamente irá considerar a capacidade de ser flexível, ágil e adaptável à mudança.

Os contratos trabalhistas que no passado seguiam normas rígidas, com empregos com carteiras assinadas, horários fixos e ambiente formal estão passando por flexibilizações nas regras, abrindo uma série de possibilidades, inclusive na forma de trabalhar, como, por exemplo, executar suas atividades em home office.

Frente às mudanças, podemos reclamar, tentar fugir ou negar inutilmente as suas consequências ou nos adaptarmos da melhor maneira a ela. Quando desenvolvemos a adaptabilidade, somos capazes não só de aceitar as mudanças, como aprender com elas e visualizar os seus pontos positivos.

Não adianta ter um nível intelectual alto e não utilizar todo o conhecimento para se adaptar a novos cenários do mercado de trabalho. Ter um QI (Quociente de Inteligência) mas nenhum QA (Quociente de Adaptabilidade) pode gerar um bloqueio para as habilidades existentes diante de novas maneiras de trabalhar.

Por que a adaptabilidade é tão fácil de definir, mas difícil de praticar?

É difícil abandonar velhos hábitos, especialmente os que, em determinado tempo, contribuíram para o nosso sucesso anterior, assim, nosso cérebro tenta encontrar alguma evidência que justifique a manutenção deles. Mas adaptabilidade é isso, ou seja, estar desenvolvendo confiança e uma nova mentalidade para se adaptar até as suas suposições e crenças mais fortes, caso você acredite que elas possam estar erradas.

A adaptabilidade está diretamente relacionada à maneira como encaramos as mudanças. Os que mantem o pensamento positivo são capazes de conseguir ver uma situação nova e as mudanças que ela traz de uma forma mais produtiva, mesmo que, aparentemente, pareçam ruins.

Como melhorar o seu quociente de adaptabilidade?

De acordo com Natalie Fratto, vice-presidente da Goldman Sachs em uma apresentação sobre o tema no TED, existem 3 maneiras de melhorar seu QA (Quociente de Adaptabilidade):

A primeira é fazer a si mesmo perguntas "e se ...", que permitem antecipar o que pode acontecer antes que ele realmente ocorra. De certa forma, isso força nosso cérebro a entrar em ação e nos ajuda a nos adaptar melhor às mudanças, se elas surgirem. 

O segundo conselho é tornar-se um aprendiz ativo. Embora seja compreensível, você pode se sentir desconfiado com a ideia de desaprender informações antigas e, ao mesmo tempo, receber novos dados, lembre-se de que quanto mais você faz isso, mais fácil fica.

O terceiro é priorizar a investigação em vez da exploração. Se você pensa em conseguir algo no trabalho, é natural olhar para as vitórias do passado e tentar espelhar as mesmas fórmulas vencedoras de antes, mas isso pode sufocar sua capacidade de evoluir. Em vez de explorar os sucessos do passado, deveríamos explorar novos, procurando estar em "um estado de constante busca".

Você já parou para pensar quantas mudanças já aconteceram em sua vida, quantos desafios superou? Aprenda com os seus erros e acertos e descubra que você já utilizou a adaptabilidade muitas vezes e nem se deu conta. Mesmo sem perceber, você já conseguiu se adaptar a uma série de mudanças. Agora é hora de fazer isso de forma consciente.

E aí, em uma escala de 0 a 10, o quanto você se considera uma pessoa adaptável?